Realização:

Apoio:

APRESENTAÇÃO

O 6° Prêmio {CURA} dá continuidade à proposta de realização de concursos de ideias com temas que se alinham às discussões atuais da arquitetura, cidade e sociedade, buscando aprofundar-se na discussão sobre o Brasil atual.

Em 2021, a equipe curatorial da 17a Bienal de Arquitetura de Veneza decidiu dar um Leão de Ouro póstumo pela carreira a Lina Bo Bardi (1914-1992), a maior arquiteta brasileira, pois, apesar de nascida em Roma, se naturalizou brasileira em 1953. Também celebramos

o lançamento do livro “Lina: Uma Biografia” de Francesco Perrotta- Bosch, da editora Todavia.

Para comemorar a premiação e pensando em homenagear Lina e seu incrível trabalho, o tema do 6o Prêmio {CURA} é Lina Bo Bardi.

OBJETIVO

Para promover essa homenagem, o tema do concurso convida os participantes a proporem intervenções temporárias em obras da Lina Bo Bardi.

A fim de estimular o debate de modo mais amplo possível, o edital é simples, tornando cada escolha critério de avaliação, como o local de intervenção entre outras decisões.

Não abriremos seções de perguntas e respostas, portanto, caso não esteja escrito no edital, arrisque.

Para obter todas as informações, como formato da prancha, programa de necessidades e outras informações, clique no link a baixo para fazer download do edital completo em PDF.

Não abriremos seções de perguntas e respostas, portanto, caso não esteja escrito no edital, arrisque.

INSCRIÇÃO

Podem participar estudantes de arquitetura/design de interiores/ artes plásticas, de qualquer ano, e/ou arquitetos/designers de interiores/artistas, brasileiros ou estrangeiros, que tenham obtido o diploma entre 2019 e 2021;

• Caso a proposta seja premiada, serão solicitadas as documentações para que a equipe comprove as situações destacadas nos itens acima;
• Não poderão participar do concurso pessoas que trabalham diretamente com a comissão julgadora ou com o CURA. Caso seja entregue uma proposta, a equipe será desclassificada;

• A inscrição pode ser individual ou em equipe;
• As equipes poderão ser formadas por integrantes de faculdades distintas;
• As equipes poderão ser formadas por máximo 5 integrantes;
• Os participantes poderão ou não incluir o nome de professores orientadores e co-orientadores na ficha de inscrição;
• A inscrição é gratuita. 

CALENDÁRIO

07/07/21 . Live especial do concurso, às 19h / Lançamento do Site / Edital / Abertura para inscrições
08-10/21 . Lives e entrevistas sobre Lina Bo Bardi com os jurados
01/11/21 . Encerramento das inscrições
11/11/21 . Entrega das propostas até às 23:59
05/12/21 . Divulgação do Resultado (nova data será divulgada em breve)

JURI

Buscando atender ao objetivo de homenagem especial à Lina Bo Bardi, a comissão julgadora será composta por pessoas que participaram diretamente na produção de sua obra, o que restringe bastante as alternativas para o júri. Reunimos um grupo muito especial e de altíssimo nível.

Importante alertar que no período em que Lina compunha suas equipes de trabalho, a sociedade não tinha algumas das preocupações que temos hoje. Atualmente, temos plena consciência sobre a importância de compor equipes e comissões julgadoras com equidade de gênero. Apesar dos nossos esforços, nem todas as convidadas que tiveram relação direta com a produção de Lina Bo Bardi puderam compor o júri.

Acreditamos que esse concurso tem um caráter diferente de qualquer outra competição que já organizamos. Nossa intenção é fazer com que todo o processo, com entrevistas e conversar com os nomes selecionados fortaleça o objetivo de tornar o concurso algo que vai além do resultado e dos premiados.

Francesco Perrotta

Francesco Perrotta-Bosch é ensaísta e autor de “Lina: uma biografia” (Todavia, 2021). Formou-se arquiteto na PUC-Rio, mestre pela FAU USP e doutorando pela mesma faculdade e pela Universidade IUAV de Veneza. Em 2013, venceu o prêmio de ensaísmo da revista Serrote com “A arquitetura dos intervalos”. Colabora no jornal Folha de S. Paulo como crítico de arquitetura. É membro do júri de arquitetura da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Isa Grinspum


Isa Grinspum Ferraz é roteirista, documentarista e curadora de exposições e museus multimídia. É curadora do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e do Cais do Sertão, em Recife, entre outros. Idealizou o Museu do Pampa e o Museu das Missões, no Rio Grande do Sul e a renovação dos museus do Instituto Butantan, em São Paulo. Dirigiu as séries O Povo Brasileiro, Intérpretes do Brasil, O valor do amanhã, A cidade no Brasil e o longa metragem Marighella. Publicou o livro “Darcy Ribeiro: utopia Brasil” (Hedra, 2008). Foi colaboradora de Lina Bo Bardi e Darcy Ribeiro.

Marcelo Suzuki

Graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1980) e Doutor em Arquitetura pela Universidade de São Paulo (2010). Atualmente é Professor Doutor em Regime de Turno Completo do Grupo de Disciplinas de Projeto, junto ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, campus São Carlos, e Professor nos Bacharelados de Arquitetura e Urbanismo e Design no Centro Universitário SENAC Santo Amaro. Atua como profissional de Arquitetura, em escritório próprio, na cidade de São Paulo. Projetou diversos edifícios, projetou e montou diversas exposições e escreveu textos para periódicos e para a Universidade.

André Vainer

Arquiteto e urbanista formado pela FAU-USP em 1980. Foi sócio do escritório André Vainer e Guilherme Paoliello de 1978 a 2009. O escritório teve trabalhos premiados e destacados nas premiações do IAB de 2000, 2002 e 2004; Prêmio Master Imobiliário em 2000; nas II, IV, VI e VII Bienais Internacionais de Arquitetura de São Paulo e na premiação Top XXI da revista Arc Design em 2007. É titular atualmente do escritório André Vainer Arquitetos e professor da Escola da Cidade, orientando alunos de TFG.

Marcelo Ferraz

Arquiteto formado pela FAU-USP em 1978, é sócio fundador do escritório Brasil Arquitetura (1979), onde tem realizado vários projetos com premiações no Brasil e exterior. Colaborou com Lina Bo Bardi em todos os seus projetos de 1977 a 1992. Colaborou com Oscar Niemeyer em 2002. Dirigiu o Instituto Bardi de 1992 a 2001 e o Programa Monumenta para recuperação das cidades históricas (Ministério da Cultura), entre 2003 e 2004. Lecionou na Washington University in Saint Louis, USA, em 2006, como professor convidado. É professor da Escola da Cidade e sócio fundador da Marcenaria Barauna, onde projeta e produz móveis desde 1986. Publicou os livros Arquitetura Rural na Serra da Mantiqueira, Arquitetura Conversável, Marcenaria Barauna: móvel como arquitetura e Brasil Arquitetura vol. I (2005) e vol. II (2020).

Realização:

Apoio:

EDIÇÕES ANTERIORES

Entrar
Criar Conta

A divulgação do resultado do 6° Prêmio {CURA} foi adiada. Em breve divulgaremos nova data.